SBS – Homenagem aos imigrantes marca o aniversário

São Bento do Sul

Música, folclore e história fizeram parte da programação festiva de São Bento do Sul. Nesta quinta-feira, 23 de setembro, o município festejou seus 148 anos de existência. Sem uma grande festa popular por conta das restrições causadas pela pandemia, a data foi marcada por homenagem aos primeiros imigrantes que chegaram e colonizaram a região, criando a nova cidade.

O evento foi realizado na Praça Jardim dos Imigrantes, contando com a presença de grupos folclóricos, músicos integrantes da Escola de Música Donaldo Ritzmann e autoridades municipais. A festividade começou com o Grupo de Trompetes descendo pela escadaria da Igreja Matriz Puríssimo Coração de Maria, em direção à praça. Integrantes de bandas marciais de escolas municipais ficaram responsáveis por levar as bandeiras. A execução do hino municipal foi realizada pela Camerata Vocal.

Na chegada à praça, os integrantes de grupos folclóricos fizeram a distribuição de flores para o público. Foram 70 ramos, simbolizando os primeiros 70 imigrantes que aportaram na antiga colônia. Todas estas flores, depois, foram depositadas no monumento existente na praça o qual simboliza o marco zero da chegada dos colonizadores. Isso porque, era no local onde hoje está a praça que existia o rancho dos imigrantes, um galpão onde permaneciam os recém-chegados à nova terra.

Durante seu discurso, o prefeito Antonio Tomazini falou sobre os desafios impostos aos imigrantes, chegando a uma terra desconhecida, deixando para trás seus lares para aqui formarem uma cidade. Ele ainda destacou o desenvolvimento do município ao longo de todos estes anos, e enfatizou o empenho dele e de sua equipe para que São Bento do Sul possa ser uma cidade cada vez melhor para todos os seus habitantes. “Fico imaginando os desafios que os imigrantes tiveram ao chegar aqui, uma terra inóspita, mas ainda assim, nunca desanimaram e deram início ao que é hoje nossa bela cidade”, destacou.

A presidente da Câmara de Vereadores, Carla Hofmann, também falou sobre os desafios enfrentados pelos imigrantes, assim como o trabalho de pujança realizado por eles.

O diretor-presidente da Fundação Cultural, Ademir Weiss, lembrou da história e, principalmente, dos desafios destes imigrantes que, ao deixarem sua terra natal, enfrentaram mais de 80 dias de viagem em navios na época, em condições bastante precárias, até desembarcarem no Brasil e então chegarem à região. “Na bagagem trouxeram não apenas roupas e utensílios, mas também sua cultura, seus costumes, suas músicas e tradições”, destacou.

Além disso, lembrou que foi a partir do beneficiamento da madeira que a cidade muito se desenvolveu, apesar de hoje São Bento possuir uma economia diversificada.

Retreta

Ainda durante a noite, uma retreta foi realizada na Praça Jardim dos Imigrantes, animada pela Banda Treml. Esta foi a primeira retreta com a presença de público após início da pandemia. Mas, como medidas de prevenção ao coronavírus, todos tiveram que permanecer de máscara e não foram colocadas as mesas e bancos à frente do coreto, para evitar aglomerações.