São Bento do Sul, 15 de setembro de 2019

20/05/2019 08:14

Fapesc anuncia R$ 9,1 milhões em editais para fomento à inovação

Santa Catarina

Boa notícia para o setor de tecnologia e inovação de Santa Catarina. O presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina (Fapesc), Fábio Zabot Holthausen, anunciou na tarde desta sexta-feira, 17, dois editais de fomento ao setor que somam R$ 9,1 milhões. A publicação está prevista para ocorrer até o fim de maio. Serão R$ 7,5 milhões para o Tecnova 2 e outro R$ 1,68 milhão do Programa Centelha, iniciativa do governo federal para estimular a criação de empreendimentos inovadores.

 

De acordo com Holthausen, o Programa Centelha foi inspirado no Sinapse da Inovação, do governo de Santa Catarina, com o objetivo de apoiar empresas iniciais. O edital vai aportar recursos da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) e da Fapesc em startups. “Vamos fazer um funil partindo de mil ideias iniciais e a partir do processo de seleção chegaremos a 28 empresas nascentes que vão receber o recurso público”, explica o presidente.

 

O programa Centelha terá R$ 1,1 milhão da Financiadora e R$ 580 mil da Fundação.“Nós selecionamos 21 fundações de amparo à pesquisa do país, e Santa Catarina vai ser a primeira a lançar este edital, que vai dar o suporte para o empreendedor transformar a sua ideia em uma empresa inovadora”, diz Públio Ribeiro, coordenador de ambientes inovadores do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC).

 

 Anúncio do edital na abertura do evento

No caso do Tecnova II, o investimento de R$ 7,5 milhões será realizado pela Finep (R$ 5 milhões) e pela Fapesc (R$ 2,5 milhões). Cada empresa poderá pleitear até R$ 300 mil, com projetos que envolvam risco tecnológico associado a oportunidades de mercado.

 

Tecnova I em destaque

O anúncio dos editais foi feito durante a abertura da EXPO Tecnova, evento que reúne os projetos inovadores desenvolvidos durante a primeira edição do programa Tecnova. O edital disponibilizou R$ 23,1 milhões. Para Holthausen, a primeira edição do programa foi altamente positiva.

 

“Foi uma experiência muito positiva. Tivemos 53 empresas que receberam recursos públicos tanto da Finep quanto da Fapesc e desenvolveram muitos produtos, de diversas áreas”, destaca o presidente da Fapesc. Durante o evento, promovido na sede da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), em Florianópolis, o público pode conferir de fitoterápicos a processos acessibilidade.

 

 Case de sucesso do Tecnova I

Uma das empresas beneficiadas pela primeira edição do Tecnova foi a Fornari Indústria, de Concórdia, que recebeu um aporte de R$ 600 mil em 2016. Ela desenvolveu um filtro-prensa para separar resíduos de animais, como suínos e bovinos, e industriais. O aparelho é usado tanto por produtores rurais quanto por agroindústrias. O principal benefício da máquina é ambiental. Ele reduz em até 30% o fósforo do material sólido, permite reúso da água e possibilita até mesmo a geração de energia por meio de biogás.

 

Segundo Luciane Piovezan Fornari, diretora da Fornari Indústria, o salto da empresa só foi possível graças ao incentivo governamental. Ela espera retribuir aos cofres públicos com crescimento do negócio e pagamentos de tributos. “Costumo dizer que a Fornari era uma antes do apoio da Fapesc e hoje é outra. Com certeza, fomos muito beneficiados. Agora temos como meta, em até cinco anos, faturar 50 vezes o valor nos foi concedido em incentivo”, diz Luciane.

 

  • Imprimir
  • Entrar em contato
  • Link:
Todos os direitos reservados Cezar Miranda