São Bento do Sul, 09 de dezembro de 2018

06/12/2018 08:19

Primeira turma do Projeto Jovem Doutor recebe certificado

Balneário Camboriú

Nesta última terça-feira (04) encerrou o primeiro módulo do Projeto Jovem Doutor da Universidade de São Paulo (USP). Balneário Camboriú é a única cidade do sul do país a participar do projeto, que está sendo realizado com alunos do CEM Presidente Médici, CEM Dona Lili e CEM Alfredo Domingos da Silva, em parceria com a Secretaria de Educação e o Conselho Municipal Antidrogas (COMAD).

Desde setembro, quando houve a aula inaugural do “Jovem Doutor”, os jovens elaboraram pesquisas sobre a influência do smartphone e das redes sociais na saúde do ser humano. Através de uma plataforma online com vídeos, orientações, textos e conversas por videoconferência com o coordenador do projeto em São Paulo, Chao Lung Wen, os alunos puderam fomentar seus conhecimentos e multiplicar tudo o que aprenderam sobre o tema.

No total, 15 alunos receberam certificados de participação e bottons no CEM Médici, vindos diretamente da USP. “Podemos mandar dúvidas e questionamentos pela plataforma. Na sala de aula, realizamos atividades para entender melhor o conteúdo e algumas experiências, como a de observar o nível de bactérias no celular”, contou Lívia Raquel, de 13 anos.

O objetivo é que os encontros semanais e contraturno continuem ao longo do ano que vem, e que os alunos tornem-se multiplicadores. “Trabalhar com conhecimento fora da sala de aula e ter a ação para trabalhar com isso é desafiador. É interessante porque foram conhecimentos trabalhados em forma de oficina e eles transformaram isso em algo prático para a vida deles”, conta o professor escolhido para trabalhar o projeto com os alunos em sala de aula, José Cleomar de Matos.

Temas como cyberbullyng, anorexia e benefícios e malefícios do uso do celular foram pesquisados. Na plataforma digital, diversos vídeos sobre o funcionamento do cérebro e do resto do corpo, como a atuação dos neurotransmissores e como podem ser afetados, foram abordados nos encontros. Ao entender o funcionamento do corpo humano usando como exemplo o vício do uso do celular, os alunos entendem também como funciona a dependência química resultante do consumo de drogas ilícitas.

“Temos mais escolas interessadas em participar ano que vem, principalmente as estaduais. Em outros lugares onde o projeto já está mais estruturado, como em Santos, há quatro anos no Jovem Doutor, os alunos multiplicadores participam de campanhas de vacinação e trabalhos externos com a comunidade. A ideia é ter a saúde na escola de maneira mais acessível, com conhecimentos abordados na teoria e na prática”, disse a presidente do COMAD, Simone Leal.

Jovem Doutor

Criatividade, tecnologia, ciência e saúde. Esses são os quatro eixos que norteiam o Projeto Jovem Doutor, criado pela Universidade de São Paulo (USP) e que agora é desenvolvido em Balneário Camboriú. A cidade, é a primeira do Estado, a participar das aulas do projeto, que utiliza recursos de Telemedicina e educação a distância, para trabalhar temas de saúde e qualidade de vida, estimular a mentalidade cidadã e promover a iniciação científica por meio do desenvolvimento do espírito de curiosidade.

O Projeto Jovem Doutor é uma atividade multiprofissional que será realizada com 40 alunos do 8º ano dos Centros Educacionais Municipais (CEM’s) Dona Lili (14 alunos), Alfredo Domingos da Silva (06 alunos) e Presidente Médici (20 alunos). O Programa Jovem Doutor já foi realizado em outras regiões do país e tem como objetivo desenvolver atos de prevenção e promoção da Saúde com estudantes, abordando vários temas e estimulando a iniciação científica nas escolas. Ao longo das aulas serão utilizadas ferramentas como imagens tridimensionais, recursos de computação gráfica, educação à distância (a USP desenvolveu uma plataforma digital para que os professores obtenham os conteúdos das formações) e produções de estruturas por impressoras 3D.

 

  • Imprimir
  • Entrar em contato
  • Link:
Todos os direitos reservados Cezar Miranda